segunda-feira, 4 de junho de 2007

Park Review: Terra Encantada

O primeiro projeto divulgado do Terra Encantada remonta a 1995. Com a estabilização da economia provocada pelo lançamento do plano Real em 1994, o Brasil viveu uma explosão de investimentos na área de entretenimento, já que havia a promessa de um grande crescimento econômico e as famílias teriam mais dinheiro para gastar em diversão. Diante desta realidade a zona Oeste da cidade do Rio viveu momentos de glória. Bairro novo e única área da cidade que ainda tinha grandes terrenos livres para a construção, havia o projeto de transformar a Barra da Tijuca numa grande Orlando e, porque não, numa quase Las Vegas.

Explodiram os shoppings voltados para entretenimento, liderados pelo New York City Center, expansão do Barra Shopping com 18 cinemas, casas noturnas, lojas de marcas como Harley Davidson, restaurantes como Outback Steak House e, coroando, o Game Works, um parque de diversões com os jogos eletrônicos mais modernos e interativos de que se já teve notícia e assinado pelo próprio Steven Spielberg. Seguindo a linha parques de diversão, vieram o Wet`n Wild, o Rio Water Planet, o anúncio do parque do Michael Jackson (que nunca saiu do papel) e os rumores das negociações da Disney com o Governo Marcelo Alencar.

Foi neste contexto que surgiu o Terra Encantada, inaugurado com três meses de atraso em janeiro de 1998. Prometendo ser o parque temático mais moderno da América Latina, o parque trouxe para o Brasil equipamentos modernos para a época como o Cabhum, um free-fall de queda vertical, o Corredeiras, um rapids-ride simulador de rafting e aMonte Makaya, uma montanha-russa com oito inversões projetada por Werner Stengel, um dos maiores e mais conceituados projetistas de montanha russa do mundo.

Mesmo com todo o atraso, a inauguração marcou história no Rio de Janeiro. Projetado para receber até 25 mil pessoas ao mesmo tempo, a procura por ingressos foi tamanha que a administração do parque, então sob o comando de Maria Lúcia Romero (Didu), decidiu limitar a venda a oito mil ingressos por dia. Tão grande a procura, maior ainda o fracasso. A frase mais ouvida quando se fala em Terra Encantada é: “Mas é seguro mesmo andar naqueles brinquedos?”.

Atrasos, atrações fora de funcionamento, contratos cancelados e propaganda considerada enganosa fizeram o parque despencar na opinião pública na mesma medida em que havia subido na expectativa. Logo na inauguração a Monte Makaya não funcionou e o simulador de rafting só foi aberto ao público às três da tarde. Além disso, atrações como a Abissal (uma montanha russa no escuro, dentro do castelo), o Ressaca (um splash de grandes proporções) e o cine Imax (cinema com projeção de alta resolução e tela de 20 metros de altura) nunca chegaram a abrir. Com isso restou ao público que havia pago na época o equivalente a 30 dólares pela entrada passear pelas construções de arquitetura deslumbrante, andar no simulador de movimentos, no free-fall e em mais uma dúzia de atrações infantis.

O parque é lindo, a equipe de arquitetura fez um trabalho realmente fantástico com algumas construções em art-nouveau e outras representando as origens do Brasil. Casas em estilo colonial na rua principal e na Terra Européia, restaurantes com telhado de palha na Terra Africana e coisas do gênero. No começo a Rua Principal funcionava até de madrugada com algumas boates. A promessa era ter um Planet Hollywood em forma de planeta, mas tudo o que se viu foi uma barraquinha vendendo camisas escrito “Planet Hollywood Rio de Janeiro”. Nunca passou disso. O Café do Zico abriu e fechou pouco depois e, em alguns meses, a idéia foi abandonada.

O Tempo foi passando, funcionários foram dispensados para reduzir os custos, a população ficou esperando os brinquedos que ainda estavam fechados serem inaugurados. Como não foram, as pessoas foram simplesmente desistindo do Terra. E a frequencia tem se mantido –baixa porém contante – graças à Makaya, ao Cabhum e à Corredeiras que são atrações de fato, de primeiro mundo. A Makaya, inclusive, é famosa no mundo inteiro. Na época da inauguração ela era a montanha russa com o maior número de inversões do mundo (8).

Mesmo assim, com a freqüência baixa, a nova administração entregue à Protel, teve de encontrar soluções para reduzir o custo. Assim, a entrada no parque foi liberada e hoje em dia, o visitante tem a opção de entrar no parque sem pagar e comprar ingressos individuais para as atrações ou comprar um passaporte com direito a quase todas as atrações. Eu digo quase porque o simulador de movimentos passou a ser cobrado à parte, assim como o Trem Fantasma e o Portal das Trevas (casa do terror). Esse Trem Fantasma, inclusive, no início era a Fábrica de Chocolate, um brinquedo semelhante à Montanha Encantada (Playcenter) e ao Kastel di Lendas (Hopi Hari), mas com carrinhos no lugar de barcos. Ao longo do percurso você via bonecos animatronics ensinando o processo de fazer chocolate. O ar-condicionado era poderoso e havia cheiro de chocolate no ar. No final a saída era por uma loja da Garoto, patrocinadora da atração. Diante do pouco público, o patrocínio foi cancelado e a loja fechada. O cheiro de chocolate desapareceu e os bonecos foram perdendo parte dos movimentos. Para piorar a situação, era muito fácil abrir a trava do carrinho e muitos visitantes desciam para pixar os bonecos. A solução encontrada (na minha opinião uma das melhores soluções já encontradas por um parque brasileiro) foi transformar a atração num trem-fantasma. As luzes foram apagadas, os bonecos re-tematizados e funcionários fantasiados de monstro foram posicionados ao longo do percurso para dar sustos. Ficou muito legal

E é um dos poucos trens-fantasma em que eu já andei que, de fato, assusta.

Infelizmente o parque sofreu também alguns infortúnios como uma grande briga num show da banda Charlie Brow Jr. que envolveu centenas de pessoas e destruiu boa parte das lojas e quiosques, além de um acidente numa das montanhas russas (causado por um visitante que não seguiu as regras de segurança, se soltou da trava e levantou com o carrinho em movimento) e a acusação da atriz Ísis de Oliveira que divulgou para toda a imprensa que sofreu danos na coluna ao andar no Cabhum.

No final das contas, pesando os prós e os contras, acho que ainda vale a pena visitar o Terra Encantada, nem que seja uma única vez na vida. A Makaya, o Corredeiras e o Cabhum são atrações que realmente valem a pena. Principalmente a Makaya, um equipamento único na América do Sul. Poucas montanhas russas fora dos Estados Unidos são tão gostosas de andar.

Eu vislumbro várias soluções possíveis pro Terra. Uma delas seria abandonar a idéia de parque temático, dar uma de Playcenter e reduzir o terreno. O parque fica numa das áreas comercialmente mais valorizadas da cidade e o espaço necessário para os brinquedos não ocupa, na realidade nem um terço do terreno. A minha idéia seria transferir os brinquedos todos para o lado direito do parque (que já tem a maioria dos brinquedos) e vender a outra metade. Com o dinheiro da outra metade, o custo do transporte dos brinquedos seria pago e ainda sobraria dinheiro para botar novamente em funcionamento os brinquedos que estão parados por falta de dinheiro para repor peças. Talvez até fosse possível trazer uma atração nova. O Terra tem muito espaço ocioso que poderia (e deveria) ser melhor aproveitado.

Infelizmente parece que os donos não têm mesmo interesse em reavivar o parque e o têm mantido aberto apenas porque é mais barato do que mantê-lo fechado.

De qualquer forma, se você vier ao Rio de Janeiro, eu recomendo que vá ao Terra e ande na Makaya. É uma experiência única.

Lucas

Curiosidades:

  1. A Makaya tem 4 “clones” no mundo, dois idênticos e 2 extendidos com 5 parafusos seguidos, em vez de 3, totalizando 10 inversões.
  2. Nos carrinhos da Makaya há uma placa da Intamin dizendo “Model: Roller Coaster Rio”
  3. Em 2004 um incêndio destruiu um dos trens da Monte Makaya e parte da estação. O fogo foi provocado pela queda de um balão de festa junina no telhado de palha da estação. Depois disso a montanha passou a funcionar com apenas 1 trem e a estação foi reconstruída com telhado de flandre e colunas de concreto.
  4. O prédio do Cine Imax tem uma arquitetura com influências romanas e, no alto do prédio, tem o ano da construção marcado: MCMXCVII (1997)
  5. Por causa de uma dívida, a Light (companhia elétrica do Rio de Janeiro) cortou o fornecimento de energia para o parque no início do ano. Hoje em dia o parque possui uma usina de geração e não recebe energia da rede municipal.

Terra Encantada
Av. Ayrton Senna 2800, Barra da Tijuca
Rio de Janeiro-RJ
www.terraencantada.com.br

Obs:
1. Primeira foto tirada por Daniela Lima. Todas as outras, tiradas por Lucas Ferraz.
2. O endereço www.montanhasrussas.cjb.net que aparece nas fotos se refere ao meu antigo site, que não está mais em funcionamento e foi substituído por este blog.

10 comentários:

Diego disse...

Olá Lucas e todos os leitores do blog.
Meu nome é Diego, e pretendo fazer um passeio ao terra encantada em alguns dias.
Eu gostaria de saber se o parque é seguro, e, se os brinquedos que estao em funcionamento passam por manutençao.
Eu sempre disse que nunca iria ao Terra, mas adoroooooo parqueeees de diversao, e, ao receber o convite nao pude esconder a vontade de ir.
Venho procurando na internet informaçoes que me deixem seguro de que eu e meus amigos estaremos seguros ao entrar no parque.
Também gostaria de saber se realmente é perigoso ficar no Terra até fechar, porque dizem que é ...

Obrigado,
Abraços,
Diego.

Thayná Müller de Oliveira disse...

Olá Lucas e todos os leitores do blog.Meu nome e Thayna e eu ja fui ao terra encantada e realmente eu fiquei encantada com este lugar foi um maximo esse passeio acho que foi o melhor dia de minha vida,e apesar de ser adolecente ainda eu fiquei doida,queria ate dar uma sugestão bote o portal das trevas menos assustador pelo amor de Deus, quase botei o coração pra fora e acabei não indo eu chorei muito.Eu fui ao monte makaia e foi uma saensação de esta morredo mais no fundo foi bom vc deve esta se perguntando que eu fui ao monte um brinquedo muito perigoso e eu nem fui ao portal das trevas e ai ta eu odeio monstros, fantasmas,
mortos,e eu morri de medo e depois eu fui ver como era o monte aurora e fiquei apaixonada fui duas vezes com meu irmão Diego muller uma vez no meio e outra no primeiro banco foi otimo e tambem adorei o cabhum,a corredeira fiquei esperando um tempão na fila,a barca e o carrinho bate bate bom eu adorei esse parque enteiro bom espero que a minha sugestão tenha valor e que um dia eu possa ir ai novamente.
obrigado pela sua atenção e ate mais.
Thayná Muller de oliveira.

maicon disse...

eu adoro o terra e na makaya ainda mais quando ela faz parafuso , adoro ver tudo rodando ate hoje nao vi nenhuma montanha russa melhor que a makaya , estou para ir no troppy park na dueling dragons espero que voces saibam que montanha e essa ne e duas montanhas russas em um duelo o fogo e o gelo e ela ainda por cima e reversa. mais nunca vou esquecer meus momentos na makaya . obrigada

maicon disse...

eu adoro a monte makaya mas acho que eles deveriam reformar aquela mini cidade eu fui no dia 16/08/2008 e vi estava tudo deformado em vez de colocar o novo brinquedo que e o hulk poderiam fazer isso todo mundo ia ficar alegre. essa e minha opiniao.

Sérgio disse...

eu andei.........
muito massa........
eu achei umas das minhas melhores experiencias é otimo........
sem noção........
abraços..........

beatriz disse...

QUERO SABER SE COM 1,35 PODE ANDAR NA MONTANHA RUSSA E NO CABUM ME RESPONDE POR FAVOR PRESISO SABER.

Colégio Estadual Hervalina Diniz Pires disse...

olha ja fui muitas vezes a terra encantada eu amo é bom d+,mas em todas as vezes que fui sempre tinha um brinquedo que não funciona o nome dele não sei eu acho que é tomboi ou martelo sei lá mas só queria que ele funcionase ele parece ser muto bom.

Lucas disse...

Eu fui no terra encantada e foi muiti show.O ruim é que tava quebrado o cabum e as corredeiras e o tambo tava desativado mais tirando isso foi tudo muito bom.

Thayna disse...

Quando eu fui a primeira vez a terra encantada eu adorei!Eu queria saber se estar a mesma coisa de antes o Parque!E quanto estar o ingresso!
Beijão!
ObrigadoO!

esquadrao disse...

olá,meu nome é thayná.
pretendo fazer um passeio ao terra encantada em alguns dias.
Eu gostaria de saber se o parque é seguro, e, se os brinquedos que estao em funcionamento passam por manutençao.

Venho procurando na internet informaçoes que me deixem seguro de que eu e meus amigos estaremos seguros ao entrar no parque.
Também gostaria de saber se realmente é perigoso ficar no Terra até fechar.
bjs thaynáaa
me respondem RÁPIDO !
thaynardjfolco@hotmail.com